Previna-se contra as doenças abaixo mantendo a vacinação em dia com a Imunoclin!

Tuberculose
É uma doença infecciosa causada por uma bactéria que atinge principalmente o pulmão. Na maioria dos pacientes infectados, o organismo consegue impedir o desenvolvimento da doença. Entretanto, ao evoluir, a tuberculose pode apresentar os seguintes sinais e sintomas: febre, suor em excesso, falta de apetite, emagrecimento e tosse seca, que pode vir acompanhada de escarro, com sangue ou não. As formas da tuberculose em outros órgãos, além dos pulmões, são mais freqüentes em crianças e indivíduos com  baixa imunidade.
 
Contágio
De pessoa para pessoa, através da tosse, fala ou espirro.
 
Prevenção
Diagnóstico precoce dos pacientes infectados e vacinação.
 
Vacina
BCG ID - É preconizada dose única ao nascer
 
Hepatite B
É uma doença viral que pode variar em quadros clínicos com ou sem sintomas. As crianças com idade inferior a 10 anos, gerelmente desenvolvem infecções desacompanhadas de sintomas. Os sintomas que podem ser observados na fase aguda da doença são: anorexia, náuseas, dor abdominal, vômito e icterícia, que em geral é o que determina a procura pelo atendimento médico. Algumas pessoas desenvolvem a forma crônica, apresentando um processo inflamatório hepático que dura mais de seis meses. Isto acontece com 5% a 10% dos adultos infectados, e 90% a 95% dos recém-nascidos filhos de mães portadoras do vírus da hepatite B.
 
Contágio
A transmissão da Hepatite B se dá principalmente através de relação sexual sem proteção, via transmissão parenteral (por contato sanguíneo) ou vertical (quando a mãe transmite para o filho, compreendendo o estágio desde a gravidez da mulher até a criança completar cinco anos de idade). Também existe a forma fecal-oral de transmissão (ingestão de água ou alimentos contaminados por fezes), no entanto, ela é mais rara que as anteriores.
 
Prevenção
Devem ser feitas triagens obrigatórias nos doadores de sangue, que não devem compartilhar ou reutilizar agulhas e seringas. Deve-se ter cuidado ao lidar com material perfurante contaminado, muito comum em trabalhadores da área da saúde. Em salões de beleza os materiais para manicures devem ser esterelizados. A vacinação também é uma forma de prevenção contra a doença.
 
Vacinas
Apresentações: Vacina hexavalente (crianças): difteria+ tétano + coqueluche + hepatite B + poliomielite + haemophilus influenzae (Hib).Hepatite B ou Hepatite B + A (adolescentes e adultos).
 
Difteria
Doença transmissível aguda, infecciosa, causada por uma bactéria tóxica que frequentemente se aloja nas amígdalas, na faringe, na laringe, no nariz, na pele e ocasionalmente em outras mucosas. Os sinais mais comuns são placas branco-acinzentadas nas amígdalas, podendo invadir também a faringe, a laringe e as fossas nasais, causando prostração, palidez, dor de garganta discreta e febre, normalmente não muito elevada. Nos casos mais graves há intenso inchaço do pescoço, podendo ocorrer asfixia.
 
Contágio
Contato direto entre a pessoa doente, ou o portador da doença com a pessoa suscetível, através de gotículas de secreção eliminadas pela tosse, pelo espirro ou ao falar. A transmissão por objetos recém-contaminados ou através de lesões em outras localizações é pouco frequente. O paciente crônico, quando não tratado, pode transmitir a infecção por seis meses ou mais.
 
Prevenção
Deve ser realizado o isolamento do paciente infectado e recomenda-se a lavagem das mãos. Uso de luvas e máscaras para todos que tenham contato com o portador da doença. A vacinação também é adotada como medida de prevenção.
 
Vacinas
Apresentações: Vacina hexavalente (crianças): difteria + tétano + coqueluche + hepatite B + poliomielite + haemophilus influenzae (Hib). Vacina contra difteria + tétano + coqueluche + poliomielite inativada para crianças (reforço). Vacina difteria + tétano + coqueluche + vip (poliomielite inativada) para adultos.
 
Tétano
É uma doença infecciosa, mas não contagiosa, causada por uma bactéria encontrada na natureza, que produz uma toxina causadora de diversos sintomas neuromusculares, como dificuldade de deglutição (disfagia), rigidez da nuca e rigidez muscular, levando a insuficiência respiratória. O tétano pode acontecer em recém-nascidos (tétano neonatal), que vão apresentar inicialmente dificuldades para mamar e choro excessivo, que evoluirão para os sintomas citados acima.
 
Contágio
Existem duas formas de contágio que caracterizam o tétano acidental ou o neonatal. No tétano acidental a pessoa é infectada com a bactéria através de um ferimento. No tétano neonatal a contaminação se dá por falta de cuidado e higiene no cordão umbilical do recém nascido.

Prevenção
Deve-se ter cuidado adequado com ferimentos comuns, lavando-os com água e sabão, e o tratamento adequado do coto umbilical deve ser feito com álcool a 70%. A vacinação é uma medida de prevenção contra o tétano.
 
Vacinas
Apresentações: Vacina hexavalente (crianças): difteria + tétano + coqueluche + hepatite B + poliomielite + haemophilus influenzae (Hib). Vacina contra difteria + tétano + coqueluche + poliomielite inativada para crianças (reforço). Vacina difteria + tétano + coqueluche + vip (poliomielite inativada) para adultos. Vacina anti-tetânica.
 
Coqueluche
A coqueluche é também conhecida por Pertussis ou tosse comprida, é uma doença infecciosa aguda, que compromete especificamente o aparelho respiratório (traquéia e brônquios) e se caracteriza por uma tosse seca. A doença evolui em três fases distintas:
Fase Catarral: Têm duração de uma ou duas semanas, os pacientes apresentam infecções respiratórias leves, febre branda, mal estar geral, coriza e tosse. Fase Paroxística: Nesta fase, observa-se aumento da intensidade e da gravidade da tosse, acompanhada por vezes de vômito. A febre é ausente ou mínima. Fase de Convalescença: Os sintomas diminuem gradualmente. Crianças menores de um ano podem apresentar graves complicações respiratórias, neurológicas e hemorrágicas.
 
Contágio
A contaminação ocorre de pessoa para pessoa através do contato direto com secreções eliminadas na tosse, espirro, saliva ou fala de um indivíduo contaminado. A transmissão por objetos recém-contaminados com secreções do doente é rara.
 
Prevenção
Recomenda-se a lavagem de mãos, uso de óculos e luvas quando em contato com o paciente infectado. Outra forma de prevenção contra a coqueluche é a vacinação.

Vacinas
Apresentações: Vacina hexavalente (crianças): difteria + tétano + coqueluche + hepatite B + poliomielite inativada + haemophilus influenzae (Hib) Vacina contra difteria + tétano + coqueluche + poliomielite inativada para crianças (reforço). Vacina contra difteria + tétano + coqueluche + vip (poliomielite inativada) para adultos. Vacina contra difteria + tétano + coqueluche para adultos.
 
Hib ( Haemophilus influenzae tipo b)
O Hib é uma doença bacteriana responsável por causar infecções, como otite e sinusite, sendo a mais frequente a meningite bacteriana em crianças com menos de dois anos.
Os pacientes que sobrevivem à meningite podem sofrer sequelas neurológicas, como perda auditiva e atraso no desenvolvimento da linguagem.
 
Contágio
A contaminação da Hib se dá por via aérea ou por contato direto com secreções e objetos contaminados.
 
Prevenção
O  leite materno é uma das melhores formas de prevenção para crianças menores de seis meses de idade. A vacinação é outra forma de prevenir a Hib
 
Vacinas
Apresentações: Vacina hexavalente (crianças): difteria + tétano + coqueluche + hepatite B + poliomielite + haemophilus influenzae (Hib). Vacina contra difteria + tétano + coqueluche + haemophilus influenzae (Hib) + Poliomielite inativada para crianças (reforço)
 
Poliomielite
A Poliomielite é uma doença viral aguda que se manifesta de várias formas diferentes como infecções inaparentes, febre inespecífica e formas paralíticas. Apenas a forma paralítica possui caracteristicas típicas: súbita deficiência motora, acompanhada de febre e diminuição ou ausência de reflexos na área paralisada. A paralisia dos músculos respiratórios e da deglutição implica em risco de vida para o paciente.
 
Prevenção
A forma de prevenção da Poliomielite é a vacinação.
 
Vacinas
Apresentações: Vacina hexavalente (crianças): difteria + tétano + coqueluche + hepatite B + poliomielite inativada + haemophilus influenzae (Hib). Vacina contra difteria + tétano + coqueluche + poliomielite inativada para crianças (reforço). Vacina contra difteria + tétano + coqueluche + poliomielite inativada para adolescentes e adultos.
 
Rotavírus
O Rotavírus é considerado um dos mais importantes vírus que causam diarréia aguda  grave, destroem as células do intestino de adultos e crianças. Os recém-nascidos geralmente não apresentam sintomas, mas crianças a partir de 3 meses podem ser acometidas por diarréia, vômito e febre.
 
Contágio
A transmissão é oral-fecal, por meio de contato direto com a pessoa infectada ou com alimentos, líquidos e objetos contaminados.
 
Prevenção
Manter o aleitamento materno, pois além de muitos outros benefícios, ele aumenta a resistência contra a diarréia. Lavar sempre as mãos antes e depois de utilizar banheiros, trocar fraldas, manipular  e ou preparar alimentos, amamentar e manusear materiais e objetos sujos. Lavar e desinfetar as superfícies, utensílios e equipamentos usados na preparação de alimentos. Utilizar sempre água tratada para beber e preparar os alimentos. Vacinar contra o Rotavírus.

 
Vacinas
Apresentação: Vacina pentavalente oral
 
Pneumococo
O Pneumococo é uma bactéria que causa diversas doenças como otite média, pneumonia bacteriana, meningite, bacteremia febril, sinusite e bronquite.
 
Contágio
A bactéria pode estar presente no nariz e na garganta de pessoas saudáveis. A transmissão ocorre por meio de gotículas de salívas e secreções do nariz e boca, entre as pessoas que compartilham o mesmo ambiente, a exemplo de moradores da mesma casa, ou residentes de casas de repouso. Crianças até cinco anos de idade e adultos a partir de 60 anos de idades possuem menor resistência a esse tipo de infecção.
Além disso pessoas de qualquer idade, portadoras das seguintes condições, são mais suscetíveis a desenvolver doenças graves pelo pneumococo: asma grave; doenças crônicas do coração, rins e fígado; pulmões; diabetes; câncer; tranplantes de órgãos; ausência ou mal funcionamento do baço; anemia falciforme; HIV/AIDS;

Prevenção
A vacinação é a forma mais eficiente de prevenir as doenças pneumocócicas em crianças. Também é responsável por diminuir a transmissão da bactéria entre a população de forma geral, diminuindo a ocorrência de doenças em todas as idades devido à proteção da população infantil (proteção indireta). Recomenda-se a vacinação em adultos e idosos, pois a capacidade de lutar contra as  infecções diminui com o decorrer dos anos.

Vacinas
Apresentações: Pneumo 13 conjugada: indicada para crianças a partir de 6 semanas de vida, com 2 doses e 1 reforço, contra 13 sorotipos (1,3,4,5,6A, 6B, 7F, 9V, 14, 18C, 19A, 19F e 23F). Em adultos está indicada a partir dos 50 anos: 1 dose sem necessidade de reforço para o restante da vida. Pneumocócica polissacarídica 23 valente: indicada para crianças acima de 2 anos, adultos e idosos, contra 23 sorotipos (1, 2, 3, 4, 5, 6B, 7F, 8, 9N, 9V, 10A, 11A, 12F, 14, 15B, 17F, 18C, 19A, 19F, 20, 22F, 23F e 33F), cobrindo cerca de 80-90% dos sorotipos causadores de doença pneumocócica invasiva.
 
Meningite
A Meningite é uma inflamação nas membranas que envolvem o cerébro (meninges), causadas por bactérias (meningites bacterianas), por vírus (meningites virais), fungos ou como resultado de um traumatismo. A doença é mais comum na infância e seus principais sintomas são: febre, cefaléia (dor de cabeça) intensa, náuseas, vômitos, rigidez na nuca, e até mesmo coma.
 
Contágio
A transmissão se dá de pessoa para pessoa através das vias respiratórias, principalmente as que residem na mesma casa, namorados, ou outros tipos de contatos íntimos.
 
Prevenção
Adotar medidas de higiene e desinfecção de todo material contaminado.
A pessoa infectada deve iniciar tratamento o mais breve possível, além de manter isolamento nas primeiras 24 horas após iniciar os medicamentos.
Recomenda-se a vacinação como prevenção contra a doença.
 
Vacinas
Vacina meningocócica C conjugada. Vacina menigocócica ACWY

 
Influenza (gripe)
A Influenza ou gripe é uma infecção viral aguda que ocorre nas vias respiratórias e possui elevado grau de transmissão entre os indivíduos, sendo mais freqüente na infância. A Influenza inicia abruptamente com sinais e sintomas sistêmicos, como cefaléia (dor de cabeça), febre, mal-estar, calafrios, tosse e dor de garganta.
 
Contágio
A transmissão ocorre por meio de secreções respiratórias (tosse, espírro e mâos contaminadas) de indivíduos que apresentam a doença aguda.
 
Prevenção
Lavar as mãos regularmente, cobrir o nariz ao tossir, além da vacinação anual.
 
Vacina
Apresentação: Vacina contra gripe (Influenza).
 
Febre Amarela
Doença aguda, causada por um vírus e de curta duração (no máximo 12 dias). Pode se apresentar de maneira leve, grave e evoluir até a morte. Os primeiros sintomas são febre alta, calafrio, cefaléia intensa (dor de cabeça), náusea, vômito e têm com uma duração de até três dias. Após esse período, observa-se a melhora na febre e nos outros sintomas por até dois dias, evoluindo então para a cura ou para a forma grave, que se apresenta com o aumento da febre, diarreia e vômitos com aspecto de borra de café.
 
Contágio
A contaminação se dá através da picada do mosquito infectado com a doença.
 
Prevenção
Qualquer recipiente como caixas d'água, latas e pneus contendo água limpa são ambientes ideais para que a fêmea do mosquito ponha seus ovos, de onde nascerão larvas. Estes ovos, após se desenvolverem na água, se tornarão novos mosquitos. Portanto, deve-se evitar o acúmulo de água parada em recipientes destampados. Além disso, devem ser tomadas medidas de proteção individual, tais como, a vacinação contra a febre amarela, especialmente para aqueles que moram ou vão viajar para áreas com indícios da doença. Outras medidas preventivas são o uso de repelente de insetos, mosquiteiros e roupas que cubram todo o corpo.
 
Vacina
Apresentação: Vacina contra febre amarela
 
Hepatite A
Hepatite A é uma doença infecciosa aguda causada pelo vírus VHA que é transmitido por via oral-fecal, de uma pessoa infectada para outra saudável.
Contágio
A transmissão se dá através da ingestão de água ou alimentos contaminados por fezes.

Prevenção
Durante a fase aguda, indivíduos infectados não devem ter contato com outras pessoas. Lavar as mãos antes e após as refeições, e utilizar água limpa e filtrada no preparo de alimentos. A vacina contra hepatite A também é uma medida de proteção.
 
Vacinas
Apresentação: Hepatite A  (crianças e adulto) ou hepatite A + B (crianças e adultos).
 
Sarampo
O Sarampo é uma doença viral contagiosa caracterizada pelo aparecimento de manchas vermelhas por todo o rosto que progridem em direção aos pés. Os sintomas frequentes são: febre, tosse, coriza, conjuntivite, fotofobia e prostração. O Sarampo pode apresentar as seguintes complicações: infecções respiratórias, pneumonias, encefalites, otites médias, laringites e diarréias. O sarampo é uma doença potencialmente grave. Em gestantes, pode provocar aborto ou parto prematuro.
 
Contágio
O Sarampo é transmitido de pessoa para pessoa, através de secreções expelidas ao tossir, espirrar, falar ao respirar.
 
Prevenção
A melhor forma de prevenção é a contenção da doença, portanto o isolamento domiciliar ou hospitar dos pacientes pode diminuir o risco de transmissão. Evitar a frequencia em escolas ou creches, agrupamentos, ou qualquer contato com pessoas suscetíveis. A vacina contra o sarampo é uma forma de prevenção contra a doença.
 
Vacinas
Apresentação: Vacina tetraviral: sarampo + caxumba + rubéola + varicela. Vacina tríplice viral: sarampo + caxumba + rubéola.
 
Caxumba
Caxumba é uma doença infecciosa causada por um vírus que provoca não só inflamação nas parótidas, mas também nas glândulas submaxilares e sublinguais. Na maior parte das vezes, a infecção se manifesta na infância, nos meses de inverno e no começo da primavera.

Contágio
A transmissão se dá através do ar, pela saliva ou urina de pessoas infectadas.

Prevenção
É importante que a população seja informada de complicações, devendo ser orientada quanto à busca de assistência médica adequada quando necessária, devido a orquites, meningites, encefalites. Outra forma de prevenção é a vacinação contra a doença.

Vacinas
Apresentação: Vacina tetraviral: sarampo + caxumba + rubéola + varicela. Vacina tríplice viral: sarampo + caxumba + rubéola

Rubéola
Rubéola é uma doença infecto-contagiosa causada por vírus. Sua característica  marcante são as manchas vermelhas que aparecem primeiro na face e atrás da orelha e depois se espalham pelo corpo inteiro. Além das manchas avermelhadas, a rubéola também pode causar febre baixa e aumentos dos gânglios no pescoço.

Contágio
O contágio se dá por contato com secreções das pessoas infectadas. A mulher  grávida contaminada por rubéola pode passar a doença para o bebê através da placenta (Síndrome da Rubéola Congênita), essas crianças eliminam o vírus pela urina e por secreções nas orofaríngeas, por um período de mais de um ano, sendo esta eliminação maior nos primeiros meses de vida.

Prevenção
Isolamento de pacientes infectados pode diminuir o contágio. Evitar a frequencia em escola ou creche. A vacinação ainda é a melhor medida de prevenção contra a Rubéola.
 
Vacinas
Apresentação: Vacina tetraviral: sarampo + caxumba + rubéola + varicela
Vacina tríplice viral: sarampo + caxumba + rubéola
 
Varicela
A Varicela popularmente conhecida como Catapora é uma doença infecciosa aguda, comum na infância, altamente contagiosa, causada pelo vírus da varicela-zóster. O herpes-zoster é uma doença secundária, decorrente de uma forma reincidente tardia dos vírus da varicela que permaneceu dormente nos gânglios nervosos. A varicela é mais comum em crianças, enquanto a herpes-zóster é mais comum em adultos e idosos.
 
Contágio
A transmissão da doença ocorre por meio do contato com o doente com lesões na pele ou por via respiratória.

Prevenção
A lavagem das mãos após tocar nas lesões é de extrema importância, bem como isolar pessoas infectadas pela doença. Vacinar contra a varicela é uma medida de controle da doença.

Vacinas
Apresentação: Vacina tetraviral: sarampo + saxumba + rubéola + varicela. Vacina contra varicela
 
HPV
Conhecido também por papilomavírus humano (HPV) são vírus que provocam lesões na pele e mucosa, sendo mais comum na região genital (vagina, colo do útero, pênis e ânus). As infecções por HPV podem causar câncer de colo do útero, vagina, pênis ou ânus. Todo o câncer do colo do útero é originado a partir de uma infecção por HPV.
Transmissão: Através do contato genital com a pessoa infectada (incluindo sexo oral) e por via sanguínea, de mãe para filho no momento do parto.

 
Prevenção
O uso do preservativo é medida indispensável de saúde e higiene, não só contra a infecção pelo HPV, mas como prevenção para todas as outras doenças sexualmente transmissíveis. Vida sexual livre e com múltiplos parceiros implicam eventuais riscos que exigem maiores cuidados preventivos. Converse com seu parceiro ou parceira se o resultado de seu exame para HPV for positivo. Ambos precisam de tratamento.
A vacinação é uma medida de prevenção contra o HPV.

 
Vacinas
Apresentação: Vacina contra HPV bivalente e quadrivalente.
 
Fonte: GSK (http://br.gsk.com) e MSD (http://www.corporativo.msdonline.com.br)
 

Fale conosco: 051 3517-5755

  • Facebook App Icon

© 2018 Imunoclin. Criado por Tomahawk Propaganda.

Atualizado por Poliedro Assessoria Criativa.